Digital Procurement: A nova era do procurement

12 de abril de 2019

Conheça os benefícios que o procurement 4.0 pode trazer para sua empresa

Estamos em plena revolução digital, onde até 2030 estima-se que 60% da população mundial acessará a Internet exclusivamente por meio de dispositivos móveis.

Com o crescimento acelerado dos meios digitais, a cada dia, grandes corporações são confrontadas com novos desafios: nova competição, novos modelos de negócios, migração de valor, intermediação e desintermediação. O ambiente competitivo relativamente estável dos anos 2000 é coisa do passado.

Hoje em dia, as grandes empresas sofrem ameaças por todos os lados, mas principalmente pela era digital. Temos exemplos emblemáticos de líderes de mercado que perderam a dianteira por timing na atualização de seus negócios: Borders, antes um dos líderes da livraria americana, entrou em falência em 2011; Kodak, extinta em 2012; Blockbuster, a líder norte-americana de aluguel de DVDs, desapareceu em 2014.

Estamos testemunhando uma nova onda de ruptura digital, onde adaptar modelos de negócios é uma questão de sobrevivência para grandes corporações, o timing é o fator crítico de sucesso para manutenção e/ou alavancagem de seus negócios.

A área de procurement é desafiada novamente a capitalizar essas transformações, representam a oportunidade de atravessar a próxima fronteira de otimização de custos e processos operacionais e fortalecer os avanços dados ao longo dos últimos anos como vetor estratégico dentro da organização.

Além disso, os avanços tecnológicos oriundos da referida revolução digital trarão como possibilidades: a colaboração habilitada digitalmente com partes interessadas (internas e fornecedores), processos e atividades automatizadas, robotizadas, parceria com startups, entre outros. Tais temas estão sendo discutidos nos encontros do Procurement Club com os líderes de Suprimentos das principais organizações de Suprimentos do mercado.

Digital Procurement

A revolução digital tem afetado profundamente os processos das organizações, e não é mais uma surpresa ouvir que um determinado processo foi robotizado, e com o procurement não é diferente.

Segundo pesquisa recente da Level Group, 84% dos departamentos de procurement acreditam que a digitalização é o próximo passo para o setor. No entanto, apenas 15% das grandes organizações globais de Procurement criaram um plano efetivo para chegar lá. O planejamento adequado para atingir este próximo nível tecnológico é fundamental para a garantia de sucesso de Procurement.

Sabemos que esta é uma área muito sensível e cada vez mais reconhecida como guardiã das boas práticas em compliance. Com certeza mudanças em seus processos irão requerer profundas discussões internas que podem impactar o timing e a garantia de sucesso da sua contribuição na nova “era digital”.

Então, para começar esta jornada em direção ao Digital Procurement vale a pena considerar as seguintes tecnologias e seus recentes avanços:

Gestão de dados

As massas de dados disponíveis dentro e fora da organização e os algoritmos de aprendizado podem ser usados para maximizar a amplitude da alavancagem de aquisições, mas também representam desafios regulatórios (GDPR – Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados).

Blockchain

Blockchain pode ser usado para proteger a fonte e canais de sourcing, contratos e pagamentos, bem como analisar tendências de mercado em larga escala.

Robótica e inteligência artificial

O advento da robótica terá um impacto sustentável no custo do trabalho e está abrindo novas oportunidades na otimização de processos transacionais, grande gargalo do departamento.

digital procurement

Objetos conectados

A “Internet das Coisas” está entrando em cena nas indústrias tradicionais e revolucionando custos diretos, compras de manutenção e planos de investimento por meio do gerenciamento de ativos digitais.

Impressão 3D

Custos de produção, canais de fornecimento e aquisição de pequenos lotes, peças de reposição e protótipos provavelmente serão completamente reconfigurados.

Drones

Os custos logísticos da última milha e os custos de manutenção preventiva para infraestruturas de difícil acesso podem, a partir de então, ser otimizados.

Esses exemplos são apenas algumas das oportunidades aparentemente infindáveis para reduzir custos e melhorar o desempenho nos processos de aquisição.

Para diretores de procurement este é o momento para tornarem-se vetores desta nova era, fortalecendo assim a posição estratégica conquistada ao longo dos últimos anos. Por outro lado, caso não assuma um protagonismo do novo momento pode-se perder sua posição com a possibilidade de extinção da função compras, e voltar a descentralização dos processos de aquisição para áreas não especializadas.

Veja mais conteúdos relacionados clicando aqui!

Tire suas Dúvidas

x

Tire suas dúvidas