Profissional de Compras

Tendências no empoderamento do Profissional de Compras

25 de maio de 2020

No início dos anos 2000 o grande mantra organizacional era ‘’Pensar Global e Agir Local’’ em decorrência das grandes oportunidades oriundas da maior abertura comercial experimentada nos países em desenvolvimento.

Durante este período, muitas empresas multinacionais de grande porte conseguiram implementar suas melhores práticas organizacionais e universalizar o seu mix de produtos adaptando-se à culturas e hábitos de consumos locais que ofereciam um caminho próspero de diversificação e maior retorno aos acionistas.

No que se refere as cadeias de suprimentos, este período foi muito fértil pelo fato de que as áreas de compras passaram à desenvolver intensamente fornecedores internacionais e estabelecer acordos globais através da maior consolidação dos volumes e consequentemente reduções de custos nas aquisições de materiais e serviços para as suas operações ou projetos de investimentos.

Pelo lado da tecnologia, em função da necessidade das áreas de compras serem demandas para atuarem de forma mais estratégica e menos operacional, observou-se uma aceleração na implantação de tecnologias para automatização do processo de compras através dos sistemas tradicionais, sendo o maior desafio enfrentado pelas organizações a pouca flexibilidade dos sistemas legados e os altos custos de desenvolvimentos em função de não possuírem como core business a atividade de compras.

Foi a partir desse contexto que surgiu no Brasil a Agrega Inteligência em Compras, empresa criada pelas gigantes Souza Cruz e AmBev para negociar com fornecedores a aquisição de materiais e serviços não utilizados diretamente nas suas atividades fins.

De lá para cá os desafios dos profissionais de compras continuaram se tornando ainda mais complexos em virtude de um ambiente econômico extremamente volátil dentro e fora do Brasil, no entanto grande parte das empresas multinacionais ainda continuam dependendo de sistemas pouco flexíveis e com altos custos de licenciamento, sem oferecer todos os recursos possíveis para o profissional de compras entregar todo o valor esperado pelas organizações.

É dentro deste contexto que nasce o SOMA, o nosso Market Place B2B desenvolvido desde o início com os preceitos do Fair-Trade objetivando maximizar o valor das cadeias de valor através da nossa estrutura de Global Sourcing para entregar aos nossos clientes produtos e serviços previamente homologados a partir de um rigoroso processo de Quality Assurance em nossa base de fornecedores, esteja ela dentro ou fora do Brasil.

É o momento de invertermos a lógica tradicional do “Pensar Global e Agir Local” para Pensar Local e Agir Global,  pois certamente através do nosso ímpeto em atender e gerar valor para os nossos clientes através de suas demandas, sejam elas de baixa ou alta complexidade, poderemos atuar através do uso de tecnologias disruptivas e alcançar novas premissas de ordem técnica e comercial que irão garantir o sucesso dos profissionais de compras independente do contexto em que eles estejam inseridos.

Por Gabriel Aleixo

Tire suas Dúvidas

x

Tire suas dúvidas